Anchieta Guerra - 11 de Novembro de 2016 - (1061 já leram)

PAIXÃO DE ADOLESCÊNTES. Por Anchieta Guerra

É muito comum na adolescência nos apaixonarmos piamente pela primeira namorada (o). Parece que o mundo se resume só naquela utópica fantasia momentânea. Na primeira noite da “flechada”, não se consegue dormir. É um meloso “tormento” de planos; idéias e confusões. O dia não amanhece! A escuridão da noite se transforma no encantador raiar do sol! O medo que outrora lhe continha, passa a ceder espaço para a coragem! O seu desalinhado quarto, que até então, era confuso, passa a ser o seu resguardado e confidente aconchego, da sua íntima e tímida paixão! Tudo brilha; tudo é bonito; nada lhe falta! Você é a pessoa mais feliz do Mundo! Mas, tudo passa; tudo passa... E, um dia...Tudo muda!

A PAIXÃO NA ADOLESCÊNCIA!

Bateu uma saudade daquelas
Que não se sabe explicar
Chegou por dentro rasgando 
Querendo meu ser sufocar
Usando a “cor” das lembranças
Para o meu peito apertar!

Chegou como a tempestade
Fervente de uma paixão
Era uma coisa tão forte 
Que me tirava à noção 
Só sei que o abalo rasgou 
Metade do meu coração!

Como à sensação da angustia 
Tomando todo o meu ser 
Era uma agonia sisuda 
Fazendo meu corpo tremer 
Acho que são às saudades 
Dos dias que pensei em você!

Sendo isso, então, verdadeiro
Vai ter que pouco durar
Pois, se essa coisa malvada
Em todo meu ser perdurar
Fará um estrago tão grande
Que nada de mim restará!

Nesse dilema sofrível
Não se consegue viver
Rebusque logo e ligeiro
Esse problema vencer
Pois, se “você” se entregar
Quem vai definhar é “você”!
 
Mas, como viver é melhor
Restou-me buscar solução
Olhei-me então, no espelho
Fixando com muita atenção
Libertando-me dali por diante
Das magoas daquela paixão!

Patos, 11/11/2016
Anchieta Guerra

Publicidade