Rodrigo Cézar - 20 de Novembro de 2016 - (776 já leram)

La Niña se configura em Novembro, mas é muito fraca

O fenômeno climático e oceânico La Niña se configurou há poucos dias, no entanto, sua intensidade fraca, deve favorecer um padrão de chuvas normal ou ligeiramente acima da média para o semiárido da Paraíba até o mês de Janeiro, está, portanto descartada a possibilidade de muita chuva no Cariri, Sertão e Alto-sertão do estado nos meses de Dezembro e Janeiro, conforme afirma o físico, meteorologista e mestre em Meteorologia Rodrigo Cézar Limeira.

De acordo com o estudioso, as águas na região central do Oceano Pacífico, também chamada região do Niño 3,4, a que tem influência no padrão dos ventos em altitude sobre o semiárido, estão atualmente com temperatura na faixa de 0,5°C abaixo da média, que é a temperatura mínima necessária para o estabelecimento do fenômeno. Dessa forma, Rodrigo espera pouca influência desse fraco episódio do fenômeno La Niña nos próximos 02 meses no semiárido paraibano.

Chuvas em Outubro confirmaram previsões de pesquisador:

De acordo com Rodrigo Cézar Limeira, Outubro não teve influência do fenômeno La Niña, mas conforme o estudioso previu, ocorreram chuvas em alguns municípios do Alto-Sertão, dentro de uma condição climática normal para o citado mês:

A precipitação média de Patos em Outubro é de 4 mm, e choveu 00 mm no citado mês. Em Pombal, a precipitação média em Outubro é de 5 mm, e choveu 00 em Outubro. Em Sousa a precipitação média em Outubro é de 10 mm, e choveu 12 mm. Em Bonito de Santa Fé a precipitação média em Outubro é de 17 mm, e choveu 22 mm.

Sendo assim, os dados observados de chuvas em Outubro no semiárido do estado foram próximos das médias normais para o citado mês nos mencionados municípios.

O normal para Patos e Pombal, é chover muito pouco em Outubro, e não choveu nada, fato que mostra um padrão de chuvas próximo da normalidade, o mesmo raciocínio pode ser considerado para Sousa e Bonito de Santa Fé, onde também choveu próximo da média, e a Meteorologia trabalha com aproximações.

Cajazeiras não registrou chuva em Outubro, mas sua precipitação média é de 17 mm para o citado mês, fato que não implica num cenário ruim para 2017. A grande limitação neste caso é a delimitação dos locais onde essas chuvas isoladas devem cair, explica o estudioso. O fato de ocorrer um pouco de chuva em Outubro é positivo, pois sinaliza que o clima do semiárido voltou ao normal. Com o El Niño, geralmente não chove praticamente nada em Outubro e Novembro, e em Outubro já foram registradas chuvas, fato que é animador, pontua.

Ainda de acordo com o estudioso, foram registradas chuvas em 06 municípios do alto-sertão no referido mês, confirmando que não há mais influência do El Niño no clima do semiárido. O citado fenômeno dissipou no final de Maio, porem seus sinais ainda podem ficar presentes na atmosfera do semiárido por até 04 ou 05 meses posteriores.

Assim, o estudioso Rodrigo Cézar Limeira, mantem a previsão de chuvas isoladas em Novembro e Dezembro no semiárido do estado, mas dentro de um padrão normal, ou ligeiramente acima da média, fato que indica pouca chuva para esse final de ano no Cariri, Sertão e Alto-sertão da Paraíba.

Para o mês de Janeiro, o estudioso diz que os índices serão mais elevados, e há possibilidade de chuvas mais significativas no semiárido do estado.

Rodrigo Cézar Limeira é:

 * Formado em Física pela Faculdade Chaffic – São Paulo/SP – 2012, e Físico do NEPEN (Núcleo de Estudos e Pesquisas do Nordeste) de Julho de 2012 a Março de 2015, coordenando o Espaço Energia(Museu da Eletricidade da Energisa) em Sousa/PB, e desde Dezembro de 2015 é consultor de clima da empresa Federal Energia de São Paulo-SP;

(Editor do Portal de Jornalismo Científico‘‘Ciência em Foco‘‘) www.cienciaemfoco.com ;

Palestrante e estudioso da Radioatividade na Telefonia Móvel, Eficiência Energética, Física dos Raios ,Física do Aquecimento Global e Lei da Atração da Física Quântica;

*Formado em Meteorologia (Física de Fluidos Aplicada à Troposfera Terrestre) pela UFCG – Campina Grande/PB – 2006;

*Mestre em Meteorologia (Física de Fluidos Aplicada à Troposfera Terrestre) pela UFCG – Campina Grande/PB – 2008.

* Escritor (poeta) colunista Portais Maispatos.com (www.maispatos.com) e Patos Metrópole (www.patosmetropole.com.br) e Diário do Sertão (www.diariodosertao.com.br) e teve quase 200 artigos jornalísticos publicados no site de notícias Patosonline.com. É membro da AISP (Associação de Imprensa do Sertão Paraibano), e presta assessoria em “Física Aplicada ao Cotidiano” para as rádios de Patos desde 2009, Sousa desde 2012 e Imaculada e Uiraúna desde 2016, com 77 entrevistas já concebidas, abordando temas da Física em que é especialista como Meteorologia, Física dos Raios, Física do Aquecimento Global, Eficiência Energética, Radiatividade na Telefonia Móvel e Lei da Atração da Física Quântica. É titular da Cadeira 483 da AVBL – Academia Virtual Brasileira de Letras, Titular da Cadeira 90 do Clube dos Escritores Piracicaba, Titular da Cadeira 22 da Academia Patoense de Letras, tem poesias publicadas em 54 antologias literárias e premiadas em 64 concursos literários, além de integrar inúmeros sites de entidades literárias. É também autor de 33 artigos científicos, tendo sido pesquisador bolsista do Cnpq durante 05 anos. Também lecionou Física durante 05 anos e meio, e Matemática durante 01 ano e meio na rede estadual de ensino do estado da Paraíba.

Publicidade