Luanja Dantas - 21 de Abril de 2017 - (1199 já leram)

Comissão de Vereadores vai à Assembleia Legislativa e ao Conselho de Transportes Públicos para defender taxistas alternativos

Na próxima quarta-feira, 26 de abril, uma comissão de vereadores da Casa Juvenal Lúcio de Sousa, irá à Assembleia Legislativa da Paraíba e ao Conselho Gestor de Transporte Público Complementar de Passageiros, para participar reunião com os parlamentares e membros do Conselho. O objetivo é tentar rever a Lei 10.673 que delimita circulação de transportes alternativos no estado e impede que veículos de pequeno porte façam a circulação interurbana.

O parlamentar Ferré Maxixe, criador da comissão, disse que o engajamento dos vereadores da Casa Juvenal Lúcio tem sido de extrema importância na luta pelos transportes alternativos: “Nós começamos essa luta e todos os nossos colegas abraçaram a causa e cada um está se empenhando em ajudar a resolver essa situação. E essa reunião será muito importante para que a gente consiga fazer que as coisas aconteçam da maneira correta”, explicou.

Durante a passagem na tribuna, Ferré destacou a realização da Campanha Doe Cabelos, Espalhe Sorrisos, que aconteceu na última quarta-feira, (19), e arrecadou quase 600 mechas para confecção de perucas para portadores de câncer: “Reconhecemos esse trabalho belíssimo, que foi idealizado por nossa eterna Sandra Sibele, de maneira tão séria. E todos essas pessoas se uniram e deram continuidade a essa campanha. E o sucesso foi tanto que o número de cabelos arrecadados praticamente triplicou e isso só mostra a solidariedade de nossa população. Tenho certeza que esses cabelos vai aliviar muito o sofrimento de quem precisa e trazer dignidade e auto estima”, destacou.

Outro assunto abordado pelo vereador foi a falta de conclusão do calçamento do balde do açude do Jatobá. Ferré disse que os agricultores daquela localidade estão sofrendo, já que o acesso está completamente comprometido: “Nós sempre preocupados com a comunidade rural e buscando soluções para essas pessoas, ficamos sabendo que está havendo esse problema grave lá. O pessoa da agricultura familiar que faz o plantio de coentro, alface, tomates e outros, estão tendo dificuldades no acesso para trazer esses alimentos para comercializar na cidade. O único acesso é o balde. O DNOCS até começou a fazer o calçamento, mas ficou pela metade e está completamente intransitável, o que além de ser um risco para quem usa esse trecho, está dificultando a vida de quem precisa trabalhar”, relatou.

Ferré garantiu que irá em busca dos órgãos responsáveis para resolver a situação.

maispatos.com

Publicidade