Luanja Dantas - 21 de Abril de 2017 - (2009 já leram)

Vereadora denuncia possibilidade de fechamento da Procuradoria do Estado da Paraíba em Patos

A vereadora Edjane Araújo usou a tribuna nesta quinta-feira, (20), para denunciar o possível fechamento da sede da Procuradoria Geral do Estado, em Patos.

Segundo a parlamentar, existem vários comentários a respeito desse fechamento e essa possibilidade é eminente e caso isso aconteça, os contribuintes patoenses e de várias cidades da região terão prejuízos: “Se realmente a Procuradoria aqui em Patos fechar as portas, os contribuintes serão bastante prejudicados, já que esse órgão é um importante instrumento de acordo desses contribuintes, não só de Patos, mas de várias cidades da região, que vem diariamente ao nosso município resolver essas demandas judiciais”, explicou.

Edjane cobrou um posicionamento do governador do estado, Ricardo Coutinho, acerca do assunto e afirmou que um dos argumentos em relação ao fechamento do órgão, que seria questões relacionadas a dinheiro, não tem fundamento: “Sabemos que falta de dinheiro não é verdade, pois o Estado arrecada milhões diariamente e a Procuradoria não causa dívidas, mas sim arrecadação para os cofres públicos”, destacou.

Outro assunto levado à tribuna pela parlamentar foi em relação ao funcionamento do Programa Vigiágua e do controle da doença de chagas e da leishmaniose no município.

O Vigiagua é um Programa Nacional de Vigilância, e visa garantir a qualidade da água para o consumo humano fornecida nos municípios, mas de acordo com a parlamentar, o programa não está em funcionamento em Patos: “Esse programa é de fundamental importância, pois garante a qualidade da água que nos consumimos e por isso, solicitamos da Vigilância Ambiental de nossa cidade que execute o projeto em nossa cidade”, falou.

Por fim, a vereadora ainda solicitou à coordenadora de Vigilância Ambiental o controle e repressão da doença de chagas e da leishmaniose. Ela explicou que estão sendo registrados vários casos da doença no bairro onde mora e quando foi buscar solução, soube que esse controle não está sendo realizado: “Ficamos preocupados com os vários casos de leishmaniose e ao tentar solucionar o problema, fomos informados, inclusive pelos agentes de endemias, que esse controle não está sendo feito, e isso é preocupante: finalizou.

maispatos.com

 

Publicidade