Ricardo Souza - 2 de Agosto de 2012 - (5444 já leram)

Maçonaria, Rotary e Lions prestam serviços em Patos a mais de meio século

A Palavra Maçom, no sentido literal significa pedreiro, construtor e os seus primeiros integrantes eram mesmo ocupantes deste ofício, bastante venerados no período medieval, já que as constantes guerras travadas entre os povos da época provocavam destruições completas de prédios, inclusive templos religiosos, oportunidade em que eram solicitados constantemente para o processo de reconstrução.

No século XIV, mais precisamente no ano de 1356, a influência da igreja já era praticamente totalitária e o soerguimento das catedrais se tornava prioritário, ao ponto em que os pedreiros foram absorvidos pelo clero e passaram a se dedicar exclusividade ao mesmo, em troca de proteção e dispensa de tributos. A organização de maçons de ofício foi tamanha que eles passaram a constituir uma sociedade com normas pré-estabelecidas e cujas reuniões aconteciam nos pátios das construções e nos adros das igrejas. Essa organização despertou interesse de muitos, uma vez que o caráter sigiloso de suas reuniões, com a aquiescência do clero, não sofria a interferência do poder governamental, coisa impensável à época, pois tal comportamento poderia cheirar a conspiração.

No século XVII, mais precisamente no ano 1600, foi introduzido o primeiro maçom não pedreiro, após um período de cortejo de pensadores e intelectuais, despojados da liberdade de exprimir abertamente os seus pensamentos, dando um dom filosófico à organização, antes específica de construtores. Estava, portanto, tendo início uma nova fase que se mantém até os dias de hoje, a Maçonaria dos aceitos, formada por pedreiros sociais.

A Loja Augusto Simões que tem o número 12, jurisdicionada à Sereníssima Grande Loja Maçônica do Estado da Paraíba e que teve como primeiro Venerável o obreiro Norberto Baracuhy, foi fundada em Patos no dia 07 de julho de 1946, por Antônio Firmino de Macedo, natural de Picuí, onde nasceu em 03 de maio de 1905 e radicou-se nesta cidade desde 1945. Jornalista e poeta de sensibilidade deixou vários trabalhos em prosa e verso, muitos dos quais publicados em revistas maçônicas. Morreu no dia 13 de maio de 1972, época em que ocupava o cargo de orador da Loja Patoense, da qual foi Venerável por duas vezes.

A denominação de Augusto Simões constituiu homenagem a um dos grandes maçons da época, secretário da Inspetoria Federal de Obras contra as Secas, considerado não apenas um batalhador comum, mas um verdadeiro baluarte incansável da Maçonaria, um Cirineu que sonhava com quem necessitava de seu auxílio, para fazer o bem. Conhecido em todos os quadrantes do Universo, através de sua ação benfeitora, faleceu em plena atividade no dia 24 de agosto de 1944, quando se encontrava numa hora de máximo esplendor, presidindo uma sessão na Loja Branca Dias. Sentindo-se mal foi socorrido pelos irmãos para a sua residência onde não resistiu. Augusto Simões foi fundador e organizador da Grande Loja da Paraíba, da qual era Grão Mestre.

Um dos trabalhos mais destacáveis da Loja Maçônica Augusto Simões reside no campo da Educação. O Instituto Dr. João Tavares teve sua fundação em 13 de maio de 1952. A construção foi edificada em terreno doado pelo Prefeito Bivar Olintho e até os dias de hoje atende crianças carentes na faixa etária do ensino fundamental.

A cidade de Patos conta também com a Loja Maçônica Dionísio da Costa, que além de uma Escola mantém diversos cursos profissionalizantes para adultos, a exemplo de Corte e Costura, Cabeleireiro e Datilografia. No campo assistencial implantou um consultório odontológico para atendimento aos carentes. Na referida Loja, outras unidades de maçons, inclusive provenientes de municípios vizinhos têm se reunido, a exemplo das Lojas: Pedro Cruz Guedes, Estrela da Serra e Santa Luzia.

Vale salientar que dentro da parte social as esposas dos maçons, denominadas ?Damas da Fraternidade?, promovem um permanente trabalho assistencial junto às comunidades mais pobres. Como clubes menores estão os Lowtons (filhos de 8 a 14 anos, que constituem a perspectiva de futuros maçons) e os Demoleys (Jovens de 14 a 20 anos), sendo que nesta unidade podem fazer parte pessoas de outros segmentos, a exemplo das Filhas de Jó (mulheres filhas de maçons e integrantes de outros setores da sociedade), todos mantendo a mesma filosofia de ajudar ao próximo.

A cidade de Patos também é servida pelo Lions, que aqui chegou em 1964 e mantém a Escola Adjalma Medeiros, que funciona desde 1978, com o atendimento de alunos no Bairro de Belo Horizonte, além de um Clube de Mães no São Sebastião. Os seus membros estão sempre trabalhando em torno da assistência à comunidade, constituindo em nível mundial uma das maiores organizações, com mais de 14 milhões de associados.

Já o Rotary Internacional, que chegou a Patos em 10 de maio de 1947, conta com três clubes em funcionamento, perfazendo mais de 100 associados, desenvolvendo uma série de atividades voltadas para a assistência social.No RC-Centro, a primeira unidade, durante muito tempo funcionou uma padaria e uma usina de leite de soja, com distribuição nas comunidades de menor poder aquisitivo. No Rotary Norte, fundado em 06 de outubro de 1981, é mantida durante o dia uma escola do ensino fundamental e à noite alfabetização de adultos. Por iniciativa do referido Club foi instituído o Dia Municipal da Solidariedade, que constitui uma ampla arrecadação de donativos no período natalino para distribuição com as comunidades carentes. Em 2003, ano do Centenário de Patos, foram distribuídas 240 cadeiras de rodas, conseguidas no exterior. O Rotary Sul, fundado em 25 de novembro de 1996, também está engajado nas inúmeras campanhas desenvolvidas, ajuda aos abrigos, distribuição de alimentos e enxovais, sem falar na constante cobrança por soluções junto às autoridades. Os clubes mantêm ainda o Rotaract e Interact que a exemplo das Damas da Casa da Amizade, promovem várias ações solidárias.

Outro importante trabalho é desenvolvido pelo GIAASP Grupo Independente de Análise e Ação Social e Política, fundado em 08 de maio de 1991, entidade não governamental, de caráter suprapartidária, integrada por pessoas de diferentes segmentos da sociedade, tendo por objetivo a realização de um trabalho no sentido de melhorar as condições de vida da população, através da discussão dos seus problemas e de uma ação visando solucioná-los

Para saber mais sobre a história de Patos adquira a II edição de Patos em Revista. Na publicação da 2ª Edição, ?Patos em revista? vem com 260 páginas, informações e estatísticas sobre todos os setores da Capital do Sertão da Paraíba, ilustrada com mais de 1.200 fotos, fazendo uma viagem desde o início do século XVII até os dias atuais.

Adquira a revista na Banca Cultura, Banca Catedral e Distribuidora Nóbrega em Patos.

O MaisPatos.com estará postando durante os fins de semana ?Fatos e Fotos? que resgatam a história e a cultura do povo patoense.

MaisPatos.com/Patos em Revista

Publicidade